Entrevista com os criadores de Adore


| Introdução

Adore é do gênero de ação roguelite, que está em acesso antecipado na Steam, mas futuramente será lançado para Nintendo Switch, PlayStation 4, Xbox One e Microsoft Windows.  Foi desenvolvido pela empresa brasileira Cadabra Games. Vem recebendo críticas positivas na Steam e no momento esta com 88% de aprovação dos usuários. Mesmo em acesso antecipado, o jogo já conseguiu as seguintes premiações:

Premios adore

Essa entrevista foi realizada com o objetivo de criar oportunidade de outras pessoas conhecerem mais sobre esse jogo brasileiro e também para ajudar quem tem como sonho ser desenvolvedor de jogos no Brasil.

Agradeço aos criadores de Adore por responderem nossas perguntas, e com isso permitir que este post fosse realizado.

 

| Entrevista

Garota no Controle: O que veio primeiro, a mecânica ou temática?

Cadabra Games: Mecânica! Nosso objetivo era criar um jogo de controlar várias unidades e a temática foi sendo desenvolvida durante o desenvolvimento da mecânica.

 

Garota no Controle: Que jogos inspiraram Adore?

Cadabra Games: A ideia por trás do Adore era criar um jogo no qual você tivesse uma experiência de evocar e controlar criaturas em tempo real, e que fosse simples de aprender, mas difícil de dominar. Algumas das principais influências foram: Dota 2, Starcraft e Dark Souls.

 

Garota no Controle: Qual o diferencial do Adore?

Cadabra Games: Acreditamos ser justamente essa mecânica inovadora dentro dos jogos indies e também nossa arte costuma chamar bastante atenção, o que não deixa de ser um grande diferencial.

 

Garota no Controle: Qual o tamanho da equipe de vocês?

Cadabra Games: Atualmente a equipe fixa é os 3 sócios. Diogo Carneiro sendo o Artista e Game Designer, o Thiago Targino como programador e eu Thiago Carneiro como produtor. Também contamos com ajuda externa da Ju Souc, compondo as trilhas sonoras e com o Cooruja como escritor.

 

Garota no Controle: Quais as principais dificuldades encontradas para desenvolvimento e para conseguir que o jogo fosse publicado?

Cadabra Games: Certamente a falta de experiência anterior da equipe em desenvolvimento de jogos. Ninguém na equipe havia trabalhado nem estudado desenvolvimento de jogos antes de Adore. Éramos apaixonados por jogos, mas literalmente começamos do zero.

A maneira como conseguimos superar essa dificuldade foi através da comunidade, principalmente através da plataforma que usamos no desenvolvimento, mas também interagindo com outros estúdios brasileiros e estrangeiros que conhecemos durante esses anos.

 

Garota no Controle: Quanto tempo o jogo demorou para ser desenvolvido?

Cadabra Games: Para ser lançado em Acesso Antecipado demorou 2 anos e 2 meses. Agora estamos trabalhando para a versão final do jogo.

 

Garota no Controle: Adore vai sair para várias plataformas, qual a plataforma que vocês estão mais empolgado para desenvolver?

Cadabra Games: Vou responder por todos da equipe, mas acredito que temos a mesma resposta para a pergunta: Nintendo Switch. Tanto por ter sido o console mais pedido pelas pessoas que conheceram o Adore, como também por termos uma lembrança afetiva dos consoles da Nintendo que jogamos muito na infância.

 

Garota no Controle: O jogo está em acesso antecipado na Steam, em que ponto um jogo é considerado suficiente para sair do acesso antecipado?

Cadabra Games: Ótima pergunta. Acreditamos que um jogo a ser lançado oficialmente deve oferecer a experiência completa que os desenvolvedores almejam que o jogador tenha.

 

Garota no Controle: Quando vocês acreditam que o jogo vai ser lançado na Steam? E nas outras plataformas?

Cadabra Games: Ainda não temos a data definida para lançamento final em nenhuma plataforma.

 

Garota no Controle: É possível viver de jogos no Brasil?

Cadabra Games: Sim. Como qualquer outro empreendimento, existem riscos (burocracia, custos, falta de incentivo…), mas temos grandes oportunidades também aqui no país. O número de jogadores no Brasil, por exemplo, é o terceiro maior do mundo. São poucos os mercados em que o Brasil tenha uma vantagem como esta.

 

Garota no Controle: Qual foi o maior aprendizado que você gostaria de passar para outras pessoas, sobre produzir o próprio jogo?

Cadabra Games: Trabalhar com metas ousadas. Tanto na dimensão do tempo, quanto na qualidade do jogo em si. Ser flexível nas ideias e ajustar conforme a reação dos jogadores.

 

Garota no Controle: A reação dos jogadores e da crítica foi como vocês esperavam?

Cadabra Games: Sim! As críticas foram muito boas e a comunidade tem ajudado bastante, trazendo novas ideias e sugestões para o jogo. Eles gostaram da nossa proposta e ajudam para que lapidemos ainda mais o Adore.

 

Garota no Controle: Sobre mulheres na área de desenvolvimento de jogos, o que você tem a comentar sobre isso?

Cadabra Games: Só temos elogios. Pela pouca experiência e vivência que possuímos na área, já tivemos a oportunidade de trabalhar com duas excelentes profissionais. Ambas extremamente talentosas e com ética de trabalho exemplar.

 

Garota no Controle: Que mensagem você gostaria de passar para aqueles que querem desenvolver jogos no Brasil?

Cadabra Games: Se você tem uma ideia boa, faça um protótipo e mostre para o público. Torne a ideia algo real e encontre os meios de expor seu projeto. Isso tudo com planejamento, organização, flexibilidade nas ideias e uma equipe boa tecnicamente

Comentários