Análise de What Remains of Edith Finch

Muito disso não vai fazer sentido para você e por isso eu peço desculpas. Eu vou começar pelo começo, com a casa […]

 

Assim começa What Remains of Edith Finch, lançado em 2017 pela Annapuma Interactive e desenvolvido pela Giant Sparrow. Com aproximadamente duas horas de duração, o jogo te leva a uma jornada para explorar o passado da família Finch, que acreditava estar amaldiçoada, onde apenas um membro da família de cada geração iria sobreviver.

 

| Investigando o mistério

O jogador assume o papel de Edith Finch, a última dos Finch de sua geração a ficar viva. Ela decide fazer uma última visita à casa, que se encontra abandonada e registrar tudo no seu diário.

A família de Edith acreditava carregar uma maldição: toda nova geração de Finches que nascesse, apenas uma criança alcançaria a idade adulta.

Logo ao entrar na casa, percebemos que o lugar possui suas peculiaridades: todos os quartos dos membros da família que faleceram permanecem intactos. Nosso objetivo, então, é explorar cada um dos cômodos e aprender sobre a vida e a morte de cada Finch.

Com formato peculiar, várias gerações de Finches ocuparam esta casa
Com formato peculiar, várias gerações de Finches ocuparam esta casa

Revivendo memórias

Ao visitar cada cômodo, não contamos apenas com a narração de Edith para conhecer cada um de seus parentes: em cada cômodo visitado, o jogo te convida a assumir o papel dos membros da família em seus últimos momentos de vida.

Ser carregado pelo vento enquanto empina uma pipa, se afogar em uma banheira e até mesmo cair de um penhasco são alguns dos jeitos que os Finches tiveram seu fim. Mas além da experiência em primeira pessoa que o jogo oferece, a narração de Edith só complementa a narrativa.

Todas as sequências dos Finches são altamente imersivas, o que faz com que o jogador fique cada vez mais intrigado com o drama desta família.

A primeira sequência em que assumimos a pele de um dos Finches é com Molly, uma garotinha de 10 anos que possui um grande interesse pela natureza. Edith, ao ler seu diário, revive o último dia de vida da garota, que foi mandada para a cama sem jantar.

Ao acordar no meio da noite com fome, precisamos interagir com diversos objetos que a garota considere ‘comível’. E, numa mudança inesperada na exploração, Molly mostra uma incrível capacidade de mudar de forma, assumindo a pele de animais como um gato, uma coruja e até mesmo um tubarão.

Assim como todas as memórias revividas, o jogo deixa aberto para que você tire suas próprias conclusões de que esta sequência foi verdadeira ou apenas fruto da imaginação de uma garotinha.

 

| Exploração cinematográfica

What Remains of Edith Finch oferece uma experiência misteriosa e simples para o jogador: você controla Edith em uma visão em primeira pessoa e realiza mecânicas básicas de interação com objetos.

Ações como abrir portas ou virar uma página de um livro são exemplo de algumas das mecânicas. Todos os objetos que são possíveis de interagir estão ali para complementar a narrativa.

Mas, o jogo não fica repetitivo. Além dos recursos já citados, existem duas situações específicas em que o estilo muda completamente: uma das memórias é toda narrada através de uma história em quadrinhos retrô.

E, o que possivelmente é uma das melhores sequências do jogo é a mistura de realidade com fantasia em uma das memórias do irmão de Edith. Ao sobrepor a rotina monótona com a imaginação do personagem, o jogador testemunha uma das mortais mais brutais o jogo inteiro. Mas, o mais incrível é que ela é completamente camuflada por alegorias que apenas deixam a entender o que aconteceu ali.

A trilha sonora também não deixa a desejar, complementando a narração de Edith, ela te coloca em uma atmosfera misteriosa com um toque de suspense, afinal, você não sabe quais outros segredos a casa e os próprios Finches escondem.

O diário de Edith Finch é aberto logo no começo do jogo
O diário de Edith Finch é aberto logo no começo do jogo

|O que restou de Edith Finch

What Remains of Edith Finch oferece duas horas de exploração que resultam em muitas horas de reflexão quando os créditos aparecem na tela.

Nem todos os mistérios são solucionados, mas não tem problema. São as perguntas que a história deixa que fazem deste jogo algo tão memorável.

Resumindo
  • História
  • Jogabilidade
  • Inovação
  • Arte
  • Trilha Sonora
4.4

Conclusão

What Remains of Edith Finch é um jogo que foi feito para ser apreciado, mais do que jogado. Focado em sua narrativa maravilhosamente aplicada, o jogo vai fazer com que até mesmo aqueles que não sejam chegados em games se apaixonem pela atmosfera da casa da família Finch e também queiram aprender mais sobre essa família misteriosa e aparentemente amaldiçoada.

 

Comentários