Porque Pokémon Unite é importante?

| Introdução

Este artigo foi  baseado no artigo “Special Issue: Games and Gaming in China”, publicado em  Games and Culture no ano de 2015, os autores são Bjarke Liboriussen e Paul Martin.  Outros  sites foram consultados: MeioBit, TechTudo, CanalTech, Newzoo .

O principal objetivo desse post é debater sobre a importância do Pokémon Unite. Para uma melhor compreensão é necessária uma introdução em relação ao mercado Chinês e sobre a Nintendo na China.

 

| China

A receita de jogos para PC e celular na China em 2012 era de aproximadamente 9,5 bilhões de dólares, com um crescimento de 33% em 2011 e 35% em 2012. Este rápido crescimento atraiu muitos produtores de jogos. Entretanto, antes de entrar no mercado chinês havia necessidade de entender implicações políticas, sociais e comerciais de culturas cada vez mais diversificado. Para entender o sucesso de jogos neste país podemos voltar para o período da China Imperial. Neste período, havia uma grande variedade de jogos de cartas, dominó, dados e tabuleiro, e muitos acreditam que estes fizeram parte de uma evolução no desenvolvimento da população. Por exemplo, existem indícios que o jogo yezi xi (Jogo das Folhas) colaborou para o desenvolvimento da tecnologia de impressão.

Isso contrasta bastante com outra atitude do governo Chinês que baniu a venda oficial de consoles no país, entre os anos de 2000 e 2013. Esta foi uma tentativa do governo de tentar controlar a influência de culturas estrangeiras na população, e dificultava a entrada desses produtos no país. Esta proibição não impediu pessoas de terem um console em casa, já que, nesse período, o mercado de consoles chinês foi dominado por imitações, e pela pirataria. Este é um dos motivos de o mercado de jogos ter ficado restrito a PCs e Smartphones.

Atualmente, a atitude esta diferente. A abertura do mercado fez crescer a cultura gamer e geral, e popularizou o E-Sport no país. A maneira diferenciada como o espetáculo do E-sport é construído, trouxeram novas formas de pensar sobre o desenvolvimento da cultura de consumo chinesa. Além disso, novas perspectivas sobre jogos e conceitos foram obtidas por meio deste tipo de evento. Na China, durante a última década, o E-sport tem sido visto pelo governo como uma forma de difundir a cultura chinesa para o mundo, disputando diretamente com o Japão e a Coreia do Sul para se tornar o centro da cultura pop na Ásia.

Outro ponto que aumenta o número de jogadores, é a cultura chinesa. A China é uma sociedade autoritária com um sistema educacional competitivo demais. As pressões desse sistema são amplificadas pelas expectativas da família. Este ambiente produz estresse nos jovens, e os jogos viram uma forma de fuga da realidade. Pode-se dizer que é um quadro bastante sombrio. Entretanto, outro lado da China, é uma sociedade onde ocorre um debate muito bom sobre a melhor forma de ajudar crianças envolvidas em jogos excessivos na Internet.

 

 

| Nintendo

Em 2014, o governo chinês revogou a proibição de entrada de consoles estrangeiros no país. Bastou a especulação da Nintendo entrar no mercado Chinês, que suas ações dispararam, a ponto de passar o valor da Sony na época. A Nintendo entrou no mercado Chinês com o Switch em 2019. Estes investimentos no país foram feitos pelo fato da China ter o maior mercado de jogos do mundo. Em 2018, esse mercado movimentou 38 bilhões de dólares e contou com 619,5 milhões de jogadores. Só o mercado mobile Com a preferência dos Chineses por jogos mobile, o Switch é um console com grande possibilidade de dar certo no país. Mas a Nintendo já sabia desde o Wii U que a China era um bom mercado.

Então, lançar o Switch na China, sabendo que a cultura de jogos por muito tempo foi dominada por mobile e PC, e baseado no resultado do impacto da bolsa em relação ao Wii U, faz total sentido.

Para isso a Nintendo contou com uma parceria dentro da China. A empresa Tencent ficou responsável por auxiliar na infraestrutura online, localização de idioma, operações físicas como distribuição de jogos e consoles, além de ser a responsável pela pós-venda, marketing e eventos.

A Tencent também é a maior empresa de jogos do mundo e dona do jogo Arena of Valor, que foi um estouro na China, e é o E-sport mais popular por lá. O sucesso é explicado facilmente pelo fato que o estilo de jogo que mais faz sucesso no país é o free-to-play, isso é reflexo da população ser pobre, já que 70% ganham menos que US$ 660.

Então vale lembrar, para uma população que tinha como cultura não pagar para jogar, pois a maioria do consumo de jogos era mobile e o principal estilo de jogo que faz sucesso é o free-to-play, existe uma dificuldade de convencê-los a pagar 60 dólares em jogos.

 

| Porque Pokémon Unite é importante?

Dia 24 de junho de 2020, o jogo Pokémon Unite foi anunciado pela Nintendo e o desenvolvimento é realizado pela Tencent. O anúncio foi muito criticado na internet, e várias pessoas não entenderam o porquê de se lançar um MOBA de pokémon, num mercado já cheio de competidores de peso como League of Legends e DOTA 2. Mas se pensarmos neste jogo como sendo feito para agradar o mercado chinês, começamos a entender melhor as motivações por trás dessa parceria.
Resumindo, o que levou a essa decisão da Nintendo foram:

1) O mercado Chinês é o maior do mundo dos jogos.
2) A Tencent é uma empresa de peso, responsável por jogos como: Arena of Valor, PUGB Mobile e Call of Duty Online.
3) O moba que ela criou é um estouro, a probabilidade de Pokémon Unite seguir o mesmo caminho é grande.
4) Arena of Valor faz parte do E-sports, ou seja, pode ser o futuro de Pokémon Unite. Isso é bom para a Nintendo, já que ocorre divulgação da marca Pokémon no mundo.
5) A Nintendo entende que a parceria com a Tencent é uma ponte importante para aumentar seu mercado.
6) A Tencent é responsável por Pokémon Unite.

 

| Conclusão

Como consumidores, temos direito de reclamar e expressar o que sentimos, mas no final, por mais que o jogo não seja o que a maioria de fãs ocidentais de Pokémon querem, ele é importante para a empresa Nintendo e o seu crescimento na China. Vale lembrar que existem fãs da Nintendo em todos os países e talvez seja um pouco errado olhar para o próprio umbigo e acreditar que foi a pior decisão possível.
Comentários